Águas Revoltas

Águas Revoltas
Para lá do Horizonte...Somewhere over the rainbow....

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

terça-feira, 23 de novembro de 2010

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

HOMEM COM TOMATES!!! Partilhem com os vossos amigos.

Numa época em que só se fala em "apertar o cinto", tive acesso a esta carta escrita por um cidadão ao nosso Ministro das finanças, é verídica. Se todos tivéssemos a atitude deste homem, que não conheço, quem sabe se o nosso Portugal não melhorava, e os nossos governantes pensassem mais no povo que governam e que os elegeram. Passem a todos este acto de coragem.








«Exmo. Senhor Ministro das Finanças
Victor Lopes da Gama Cerqueira, cidadão eleitor e contribuinte deste País, com o número de B.I. 8388517, do Arquivo de identificação de Lisboa, contribuinte n.º152115870 vem por este meio junto de V. Exa. para lhe fazer uma proposta:
A minha Esposa, Maria Amélia Pereira Gonçalves Sampaio Cerqueira, vítima de CANCRO DE MAMA em 2008, foi operada em 6 Janeiro com a extracção radical da mesma.
Por esta 'coisinha' sem qualquer importância foi-lhe atribuída uma incapacidade de 80%, imagine, que deu origem a que a minha Esposa tenha usufruído de alguns benefícios fiscais.
Assim, e tendo em conta as suas orientações, nomeadamente para a CGA, que confirmam que para si o CANCRO é uma questão de só menos importância.
Considerando ainda, o facto de V. Ex.ª, coerentemente, querer que para o ano seja retirado os benefícios fiscais, a qualquer um que ganhe um pouco mais do que o salário mínimo, venho propor a V. Ex.ª o seguinte:
A devolução do CANCRO de MAMA da minha Mulher a V. Exa. que, com os meus cumprimentos, o dará à sua Esposa ou Filha.
Concomitantemente com esta oferta gostaria que aceitasse para a sua Esposa ou Filha ainda:
a) Os seis (6) tratamentos de quimioterapia.
b) Os vinte e oito (28) tratamentos de radioterapia.
c) A angústia e a ansiedade que nós sofremos antes, durante e depois.
d) Os exames semestrais (que desperdício Senhor Ministro, terá que orientar o seu colega da saúde para acabar com este escândalo).
e) A ansiedade com que são acompanhados estes exames.
e) A angústia em que vivemos permanentemente.






Em troca de V. Ex.ª ficar para si e para os seus com a doença da minha Esposa e os nossos sofrimentos eu DEVOLVEREI todos os benefícios fiscais de que a minha Esposa terá beneficiado, pedindo um empréstimo para o fazer.

Penso sinceramente que é uma proposta justa e com a qual, estou certo, a sua Esposa ou filha também estarão de acordo.

Grato pela atenção que possa dar a esta proposta, informo V. Exa. que darei conhecimento da mesma a Sua Ex.ª o Presidente da República, agradecendo fervorosamente o apoio que tem dispensado ao seu Governo e a medidas como esta e também o aumento de impostos aos reformados e outras...

Reservo-me ainda o direito (será que tenho direitos?) de divulgar esta carta como muito bem entender. E por isso peço a todos aqueles que receberem e lerem esta mensagem e se assim concordarem que enviem aos vossos amigos. Obrigado

Como V. Ex.ª não acreditará em Deus (por se considerar como tal...) e por isso dorme em paz, abraçando e beijando os seus, só lhe posso desejar que Deus lhe perdoe, porque eu não posso (jamais) perdoar-lhe.

Com os melhores cumprimentos,

Atentamente,
Victor Lopes da Gama Cerqueira.

CORDIALMENTE E A BEM DA NAÇÃO

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

A história é sempre actual....





"Guimarães capital socialista"









Este país é um colosso....está tudo grosso....está tudo grosso...

(dizia a Grande IVONE SILVA).....lá teria as suas razoes....





PASSA-SE NA FUTURA CAPITAL DA CULTURA 2012........





Presidente da Fundação e dois vogais executivos auferem vencimentos brutos acimas dos 12500 euros mensais, a que juntam carro, telemóvel e senhas de presença, que variam entre 300 e 500 euros.






Cristina Azevedo








A Câmara de Guimarães anunciou hoje, sexta-feira, que a Comissão de Vencimentos da Fundação criada para a Capital da Cultura 2012 vai "ponderar a conjuntura nacional e as decisões tomadas para contenção do défice, repercutindo-a na grelha de vencimentos".

O presidente da Câmara, o socialista António Magalhães adiantou, em comunicado, que a Comissão a que preside "não deixará de efectuar a ponderação da situação que o país atravessa, reflectindo-a nos vencimentos" auferidos pela presidente da Fundação Cidade de Guimarães e pelos dois vogais da direcção do organismo.

A posição do autarca surge na sequência das críticas feitas pelo deputado do PCP, Agostinho Lopes, eleito pelo círculo de Braga, que considerou "escandalosos" os vencimentos auferidos pela presidente da Fundação, Cristina Azevedo (14300 euros brutos mensais) e pelos dois vogais executivos (12500 euros/mês).

A Fundação foi criada para preparar as iniciativas "imateriais" da Capital Europeia da Cultura que decorre na cidade em 2012.

Em declarações à Lusa, Agostinho Lopes disse que vai questionar, em requerimento no parlamento, os ministérios das Finanças e da Economia sobre o assunto, lembrando-lhes "a crise económica que grassa no Vale do Ave, onde a taxa de desemprego atinge os 15%".

"Além do vencimento chorudo a Presidente ainda tem direito a uma senha de presença de 500 euros por cada reunião do Conselho Geral (300 euros para os restantes vogais), a carro e telemóvel", lamentou o deputado, para quem, "o poder político socialista perdeu a vergonha".

No comunicado sobre o assunto, a Câmara de Guimarães diz que os vencimentos dos membros do Conselho de Administração da Fundação Cidade de Guimarães se justificam dado que "a Capital Europeia da Cultura é um desígnio nacional e de Grande relevância para a afirmação e desenvolvimento da cidade e da região à escala europeia".

"Com vista ao desenho do modelo de remunerações da Fundação, a Comissão de Vencimentos, por mim encabeçada, levou a cabo aturada pesquisa e confrontação com valores estabelecidos em projectos semelhantes", refere António Magalhães.

Acrescenta que "foram recolhidas indicações sobre os vencimentos pagos aos responsáveis por outras capitais europeias, nomeadamente realizadas em Portugal, e feita a ponderação com base no tempo de mandato que, nestes exemplos, são mais prolongados".

"Também foram tomadas em consideração as especiais responsabilidades da Fundação na organização do modelo de financiamento do projecto de Guimarães 2012", acentua, sublinhando que os valores que propôs à Comissão de Vencimentos, "descontando o tempo decorrido, são bem inferiores às referências encontradas e plenamente justificados pelo grau de complexidade imposto por uma iniciativa de que se esperam frutuosos resultados em tão curto espaço de tempo".



ESTAMOS ENTREGUES AOS BICHOS...
Vamos nos 11% de desemprego...impostos é mato...2 milhoes de pobres...mas ainda há SORTUDOS....

Mas afinal, há ou nao há dinheiro.....

domingo, 7 de novembro de 2010

Que ninguém pense que a canalhada tem vergonha e que é por envergonhá-los que "isto" terminará. Não têm vergonha nenhuma! senão não seriam conhecidos por a "canalhada".

Aos mais esquecidos recordo que este fenómeno da corrupção depois do 25 e Abril nasce com um empreendimento qualquer no Nordeste de que não estou bem certo mas salvo erro relacionado com sementes, denunciado por Vasco Lourenço ao qual se opôs o 1º Ministro Pinto Balsemão dizendo que eram calúnias. Seguiram-se tentativas despudoradas de muitos deputados pretendendo assegurar para si vantagens remuneratórias e de reformas deslocadas da realidade portuguesa. Mas à época o P.R. era o Ramalho Eanes que não lhes deu vida fácil. Mas com os governos do Cavaco e o seu "estado laranja" a corrupção assentou arraiais. Agora com os "socialistas", muito mais despudorados do que os "sociais democratas", a corrupção consolidou-se e agudizou-se.

Solução? Acordem militantes desses partidos, não busquem tachos e "limpem" as vossas cúpulas. Senão o futuro dos nossos filhos será muito triste.

Vejam a notícia abaixo e meditem.


http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/ren-ignora-processo-e-da-premio-milionario215016210

Face Oculta’

REN ignora processo e dá prémio milionário (a José Penedos)
Administrador, também arguido, assinou relatório a ilibar José Penedos, na altura já suspenso. Inspecção-Geral de Finanças disse que os gestores da empresa violaram deveres e prejudicaram erário público.

Administrador, também arguido, assinou relatório a ilibar José Penedos, na altura já suspenso. Inspecção-Geral de Finanças disse que os gestores da empresa violaram deveres e prejudicaram erário público.

Vítor Baptista, o administrador da REN acusado no processo ‘Face Oculta’ de cinco crimes de corrupção activa e participação económica em negócio, assinou um documento daquela empresa pública, no qual contrariou as conclusões da Inspecção-Geral de Finanças (IGF) e permitiu que José Penedos, ex-presidente do Conselho de Administração, recebesse da REN um prémio de desempenho de 244 mil euros referente ao ano de 2009.
(...)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

domingo, 31 de outubro de 2010

ANEDOTA em que se transformou o nosso País:




VIVA PORTUGAL


-Uma adolescente de 16 anos pode fazer livremente um aborto mas não pode pôr
um piercing.

- Um jovem de 18 anos recebe 200 € do Estado para não trabalhar; um idoso
recebe de reforma 236 € depois de toda uma vida do trabalho.

-Um marido oferece um anel à sua mulher e tem de declarar a doação ao fisco.

-O mesmo fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador e demora 3
anos a corrigir o erro.

-Nas zonas mais problemáticas das áreas urbanas existe 1 polícia para cada 2000 habitantes; o Governo diz que não precisa de mais polícias.

-Um professor é sovado por um aluno e o Governo diz que a culpa é das causas sociais.

- O café da esquina fechou porque não tinha WC para homens, mulheres e
empregados. No Fórum Montijo o WC da Pizza Hut fica a 100mts e não tem local para lavar mãos.

- O governo incentiva as pessoas a procurarem energias alternativas ao petróleo e depois multa quem coloca óleo vegetal nos carros porque não paga ISP (Imposto sobre produtos petrolíferos).

- Nas prisões é distribuído gratuitamente seringas por causa do HIV, mas é proibido consumir droga nas prisões!

- No exame final de 12º ano és apanhado a copiar chumbas o ano, o
primeiro-ministro fez o exame de inglês técnico em casa e mandou por fax e é engenheiro.

- Um jovem de 14 mata um adulto, não tem idade para ir a tribunal. Um jovem de 15 leva um chapada do pai, por ter roubado dinheiro para droga, é violência doméstica!

- Uma família a quem a casa ruiu e não tem dinheiro para comprar outra, o estado não tem dinheiro para fazer uma nova, tem de viver conforme podem. 6 presos que mataram e violaram idosos vivem numa sela de 4 e sem wc privado, não estão a viver condignamente e associação de direitos humanos faz queixa ao tribunal europeu.

- Militares que combateram em África a mando do governo da época na defesa de território nacional não lhes é reconhecido nenhuma causa nem direito de guerra, mas o primeiro-ministro elogia as tropas que estão em defesa da pátria no KOSOVO, AFEGANISTÃO E IRAQUE.

- Começas a descontar em Janeiro o IRS e só vais receber o excesso em Agosto
do ano que vem, não pagas as finanças a tempo e horas passado um dia já
estas a pagar juros.

- Fechas a janela da tua varanda e estas a fazer uma obra ilegal,
constrói-se um bairro de lata e ninguém vê.

- Se o teu filho não tem cabeça para a escola e com 14 anos o pões a
trabalhar contigo num oficio respeitável, é exploração do trabalho infantil,
se és artista e o teu filho com 7 anos participa em gravações de telenovelas
8 horas por dia ou mais, a criança tem muito talento, sai ao pai ou à mãe!

-Numa farmácia pagas 0.50€ por uma seringa que se usa para dar um
medicamento a uma criança. Se fôr drogado, não paga nada!

Obrigado Portugal. Estamos orgulhosos...

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Mário de Andrade - "O valioso tempo dos maduros"








O valioso tempo dos maduros










Contei meus anos e descobri que terei (quase) menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.


Terei muito mais passado do que futuro.


Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.


As primeiras, ele comeu displicente, mas percebendo que faltam

poucas, rói o caroço.


Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.


Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.


Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,

cobiçando seus lugares, talentos e sorte.


Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir

assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.


Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.


Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário-geral do coral.


'As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'.


Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência,

minha alma tem pressa...


Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana,

muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com

triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,


Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,


O essencial faz a vida valer a pena.


E para mim, basta o essencial!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

sábado, 16 de outubro de 2010

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Poema de agradecimento à corja a...






Obrigado, excelências.
Obrigado por nos destruírem o sonho e a oportunidade
de vivermos felizes e em paz.
Obrigado
pelo exemplo que se esforçam em nos dar
de como é possível viver sem vergonha, sem respeito e sem
dignidade.
Obrigado por nos roubarem. Por não nos perguntarem nada.
Por não nos darem explicações.
Obrigado por se orgulharem de nos tirar
as coisas por que lutámos e às quais temos direito.
Obrigado por nos tirarem até o sono. E a tranquilidade. E a alegria.
Obrigado pelo cinzentismo, pela depressão, pelo desespero.
Obrigado pela vossa mediocridade.
E obrigado por aquilo que podem e não querem fazer.
Obrigado por tudo o que não sabem e fingem saber.
Obrigado por transformarem o nosso coração numa sala de espera.
Obrigado por fazerem de cada um dos nossos dias
um dia menos interessante que o anterior.
Obrigado por nos exigirem mais do que podemos dar.
Obrigado por nos darem em troca quase nada.
Obrigado por não disfarçarem a cobiça, a corrupção, a indignidade.
Pelo chocante imerecimento da vossa comodidade
e da vossa felicidade adquirida a qualquer preço.
E pelo vosso vergonhoso descaramento.
Obrigado por nos ensinarem tudo o que nunca deveremos querer,
o que nunca deveremos fazer, o que nunca deveremos aceitar.
Obrigado por serem o que são.
Obrigado por serem como são.
Para que não sejamos também assim.
E para que possamos reconhecer facilmente
quem temos de rejeitar.

Joaquim Pessoa

****************************

Joaquim Pessoa nasceu no Barreiro em 1948.
Iniciou a sua carreira no Suplemento Literário Juvenil do Diário de Lisboa.
O primeiro livro de Joaquim Pessoa foi editado em 1975 e, até hoje, publicou mais de vinte obras incluindo duas antologias. Foram lhe atribuídos os prémios literários da Associação Portuguesa de Escritores e da Secretaria de Estado da Cultura (Prémio de Poesia de 1981), o Prémio de Literatura António Nobre e o Prémio Cidade de Almada.
Poeta, publicitário e pintor, é uma das vozes mais destacadas da poesia portuguesa do pós 25 de Abril, sendo considerado um "renovador" nesta área. O amor e a denúncia social são uma constante nas suas obras, e segundo David Mourão Ferreira, é um dos poetas progressistas de hoje mais naturalmente de capazes de comunicar com um vasto público.
Bibliografia: "O Pássaro no Espelho", "A Morte Absoluta", "Poemas de Perfil", "Amor Combate", "Canções de Ex cravo e Malviver", "Português Suave", "Os Olhos de Isa", "Os Dias da Serpente", "O Livro da Noite", "O Amor Infinito", "Fly", "Sonetos Perversos", "Os Herdeiros do Vento", "Caderno de Exorcismos", "Peixe Náufrago", "Mas.", "Por Outras Palavras", "À Mesa do Amor", "Vou me Embora de Mim".

domingo, 10 de outubro de 2010

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

sábado, 24 de julho de 2010

sexta-feira, 23 de julho de 2010

TAL E QUAL...





Já diziam os romanos
Há muito mais de mil anos:


Mesmo ao fundo da Ibéria
Debruçado sobre o mar,
Vive em pose subalterna
E com postura funérea,
Um povo que não se governa
Nem se deixa governar

Foi passando entanto a História
E rios houve de glória:

Meio mundo descoberto
Em actos de valentia!
Produtos orientais
Vendiam-se a céu aberto
A render dinheiros tais
Que enriqueciam num dia!

(Em alguns ainda há o jeito
É só vê-los... dito e feito!)

Depois foi a decadência:
Roubados e sem clemência!

Mas sempre há quem viva à larga
Mantendo o povinho ordeiro;
Quem tenha vidas bem fartas
Mantendo as "bestas de carga"
Quem baralhe e dê as cartas
Como dizia Junqueiro

Hoje é bom que aqui se frise,
Estamos mal. Sim, pela crise.

Mas quem indexou salários
A produtos duvidosos?
Quem inventou a maneira
De ganhar metendo em risco
Uma economia inteira?
Sim, quem foram os gulosos?
Quem os off-shores vários
Inventou, fugindo ao fisco?

E o povo
Que não se governa
Nem se deixa governar,
Não trilha um caminho novo:
Vai andando... e deixa andar...

Em política, hiberna;
Diz apenas: gente reles!
Mas inda que empobrecido
Enquanto vê crescer panças,
Apressado, esbaforido,
Vai às urnas, vota neles!

... E prosseguem estas danças.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

E não há xenofobia?!

Lisboa
Diz que velório da sogra foi mais caro por "ser cigano"
Telma Roque
João Silva, lisboeta e morador na Ajuda desde que nasceu, há 62 anos, garante que foi discriminado pela sua paróquia por ser de etnia cigana. Afirma que o padre cobrou mais 95 euros para o velório da sogra, alegando que os ciganos são "violentos e porcos".

sábado, 3 de julho de 2010

A NOVA LÍNGUA PORTUGUESA






É de toda a conveniência estarmos

"ATUALIZADOS"/ACTUALIZADOS



Desde que os americanos se lembraram de começar a chamar aos pretos 'afro-americanos', com vista a acabar com as raças por via gramatical, isto tem sido um fartote pegado!

As criadas dos anos 70 passaram a 'empregadas domésticas' e preparam-se agora para receber a menção de 'auxiliares de apoio doméstico' .

De igual modo, extinguiram-se nas escolas os 'contínuos' que passaram todos a 'auxiliares da acção educativa' e em 2009 passaram a chamar-se 'assistentes operacionais'.

Os vendedores de medicamentos, com alguma prosápia, tratam-se por 'delegados de informação médica'.

E pelo mesmo processo transmudaram-se os caixeiros-viajantes em 'técnicos de vendas '.

O aborto eufemizou-se em 'interrupção voluntária da gravidez';

Os gangs étnicos são 'grupos de jovens'

Os operários fizeram-se de repente 'colaboradores';


As fábricas, essas, vistas de dentro são 'unidades produtivas'e vistas da estranja são 'centros de decisão nacionais'.


O analfabetismo desapareceu da crosta portuguesa, cedendo o passo à 'iliteracia' galopante.


Desapareceram dos comboios as 1.ª e 2.ª classes, para não ferir a susceptibilidade social das massas hierarquizadas, mas por imperscrutáveis necessidades de tesouraria continuam a cobrar-se preços distintos nas classes 'Conforto' e 'Turística'.


A Ágata, rainha do pimba, cantava chorosa: «Sou mãe solteira...» ; agora, se quiser acompanhar os novos tempos, deve alterar a letra da pungente melodia: «Tenho uma família monoparental...» - eis o novo verso da cançoneta, se quiser fazer jus à modernidade impante.


Aquietadas pela televisão, já se não vêem por aí aos pinotes crianças irrequietas e «terroristas»; diz-se modernamente que têm um 'comportamento disfuncional hiperactivo'


Do mesmo modo, e para felicidade dos 'encarregados de educação' , os brilhantes programas escolares extinguiram os alunos cábulas; tais estudantes serão, quando muito, 'crianças de desenvolvimento instável'.

Ainda há cegos, infelizmente. Mas como a palavra fosse considerada desagradável e até aviltante, quem não vê é considerado 'invisual'. (O termo é gramaticalmente impróprio, como impróprio seria chamar inauditivos aos surdos - mas o 'politicamente correcto' marimba-se para as regras gramaticais...)

As putas passaram a ser 'senhoras de alterne'.
Para compor o ramalhete e se darem ares, as gentes cultas da praça desbocam-se em 'implementações', 'posturas pró-activas', 'políticas fracturantes' e outros barbarismos da linguagem.


E assim linguajamos o Português, vagueando perdidos entre a «correcção política» e o novo-riquismo linguístico.
Estamos lixados com este 'novo português'; não admira que o pessoal tenha cada vez mais esgotamentos e stress. Já não se diz o que se pensa, tem de se pensar o que se diz de forma 'politicamente correcta'.

E falta ainda esclarecer que os tradicionais "anões" estão em vias de passar a "cidadãos verticalmente desfavorecidos"...

Os idiotas e imbecis passam a designar-se por "indivíduos com atitude não vinculativa"

Os pretos passaram a ser pessoas de cor.

O mongolismo passou a designar-se síndroma do cromossoma 21.

Os gordos e os magros passaram a ser pessoas com disfunção alimentar.

Os mentirosos passam a ser "pessoas com muita imaginação"

Os que fazem desfalques nas empresas e são descobertos são "pessoas com grande visão empresarial mas que estão rodeados de invejosos"


Para autarcas e políticos, afirmar que "eu tenho impunidade judicial", foi substituído por "estar de consciência tranquila".

O conceito de corrupção organizada foi substituído pela palavra "sistema".

Difícil, dramático, desastroso, congestionado, problemático, etc., passou a ser sinónimo de complicado.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

quinta-feira, 17 de junho de 2010

sábado, 5 de junho de 2010

Porque que Gritamos ao discutir?!






Faz todo o sentido...

Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos:'

Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?'
'Gritamos porque perdemos a calma', disse um deles.
'Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?' Questionou novamente o pensador.

'Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça', retrucou outro discípulo.

E o mestre volta a perguntar: 'Então não é possível falar-lhe em voz baixa?'

Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.

Então ele esclareceu: 'Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido?'

O facto é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito.

Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente.

Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância..

Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas?

Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê?

Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena.

Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram.

E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta.

Seus corações se entendem. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.

' Por fim, o pensador conclui, dizendo:

'Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta'.




E depois ainda dizem que a tradição já não é o que era!!!















Soneto quase inédito






Surge Janeiro frio e pardacento,

Descem da serra os lobos ao povoado;

Assentam-se os fantoches em São Bento

E o Decreto da fome é publicado.





Edita-se a novela do Orçamento;

Cresce a miséria ao povo amordaçado;

Mas os biltres do novo parlamento

Usufruem seis contos de ordenado.



E enquanto à fome o povo se estiola,

Certo santo pupilo de Loyola,

Mistura de judeu e de vilão,



Também faz o pequeno "sacrifício"

De trinta contos - só! - por seu ofício

Receber, a bem dele... e da nação.








JOSÉ RÉGIO Soneto escrito em 1969, no dia de uma reunião de antigos alunos.
Tão actual em 1969, como hoje...
E depois ainda dizem que a tradição já não é o que era!!!

sexta-feira, 7 de maio de 2010

PENA QUE SE DESCOBRE TARDE DEMAIS, OU NUNCA...





Coisas que a vida ensina depois dos 40



Amor não se implora, não se pede, não se espera... Amor se vive, ou não.

Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.

Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para
mostrar ao homem o que é fidelidade.

Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.

As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.

Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.


Água é um santo remédio.


Deus inventou o choro para o homem não explodir.


Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.

Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.

A criatividade caminha junto com a falta de grana.

Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.

Amigos de verdade nunca te abandonam.

O carinho é a melhor arma contra o ódio.

As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.

Há poesia em toda a criação divina.

Deus é o maior poeta de todos os tempos.

A música é a sobremesa da vida.

Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.

Filhos são presentes raros.

De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças acerca de suas ações.

Obrigado, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que
abrem portas para uma vida melhor.

O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções, destrói preconceitos, cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente...

© Artur da Távola - 1936/2008

sexta-feira, 30 de abril de 2010

terça-feira, 27 de abril de 2010

VIVER DESPENTEADA




Decidi aproveitar a vida com mais intensidade...


O mundo é louco, definitivamente louco...


O que é bom, engorda.


O que é lindo, custa caro.


O sol que ilumina o teu rosto, enruga.


E o que é realmente bom nesta vida, despenteia...


- Fazer amor - despenteia.


- Nadar - despenteia


- Pular - despenteia.


- Tirar a roupa - despenteia.


- Brincar - despenteia.


- Dançar - despenteia.

- Dormir - despenteia.

- Beijar com ardor - despenteia.



É a lei da vida: Vai estar sempre mais despenteada a mulher que decide andar na montanha russa, que aquela que decide não subir.


Por isso, a minha recomendação a todas as mulheres:
Entrega-te, come coisas gostosas, beija, abraça,dança, apaixona-te, relaxa, viaja, salta,dorme tarde, acorda cedo, corre, voa, canta, arranja-te para ficares linda, arranja-te para ficares confortável, admira a paisagem, aproveita, e acima de tudo:


Deixa a vida despentear-te!!!!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

AMIGOS






Escolho meus amigos, não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.


Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.(...)


Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.


Deles não quero resposta, quero o meu avesso.(...)


Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.(...)


Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem,mas lutam para que a fantasia não desapareça.


Não quero amigos adultos nem chatos


Quero-os metade infância e outra metade velhice.


Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto: e velhos, para que nunca tenham pressa.


Tenho amigos para saber quem eu sou.


Pois os vendo, loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril."

sexta-feira, 2 de abril de 2010

É PROÍBIDO.....




É PROIBIDO.....



É proíbido chorar sem aprender,


Levantar-se um dia sem saber o que fazer


Ter medo de suas lembranças.



É proíbido não rir dos problemas


Não lutar pelo que se quer,


Abandonar tudo por medo,


Não transformar sonhos em realidade.



É proíbido não demonstrar amor


Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.



É proíbido deixar os amigos


Não tentar compreender o que viveram juntos


Chamá-los somente quando necessita deles.



É proíbido não ser você mesmo diante das pessoas,


Fingir que elas não te importam,


Ser gentil só para que se lembrem de você,


Esquecer aqueles que gostam de você.



É proíbido não fazer as coisas por si mesmo,


Não crer em Deus e fazer seu destino,


Ter medo da vida e de seus compromissos,


Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.



É proíbido sentir saudades de alguém sem se alegrar,


Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se desencontraram,


Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.



É proíbido não tentar compreender as pessoas,


Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,


Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.



É proíbido não criar sua história,


Deixar de dar graças a Deus por sua vida,


Não ter um momento para quem necessita de você,


Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.



É proíbido não buscar a felicidade,


Não viver sua vida com uma atitude positiva,


Não pensar que podemos ser melhores,


Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

segunda-feira, 22 de março de 2010

INVERSÃO DE VALORES

CARTA DE UMA MÃE PARA OUTRA MÃE (ASSUNTO VERÍDICO).

*Carta enviada de uma mãe para outra mãe no Porto, após um noticiário na TV:

De mãe para mãe...

'Vi o seu enérgico protesto diante das câmaras de televisão contra a transferência do seu filho, menor, infractor, das dependências da prisão de Custoias para outra dependência prisional em Lisboa.


Vi você se queixando da distância que agora a separa do seu filho, das dificuldades e das despesas que passou a ter, para visitá-lo, bem como de outros inconvenientes decorrentes daquela mesma transferência.


Vi também toda a cobertura que os média deram a este facto, assim como vi que não só você, mas igualmente outras mães na mesma situação que você, contam com o apoio de Comissões Pastorais, Órgãos e Entidades de Defesa de Direitos Humanos, ONG's, etc...


Eu também sou mãe e, assim, bem posso compreender o seu protesto. Quero, com ele, fazer coro. No entanto, como verá, também é enorme a distância que me separa do meu filho.
Trabalhando e ganhando pouco, idênticas são as dificuldades e as despesas que tenho para visitá-lo.

Com muito sacrifício, só posso fazê-lo aos domingos porque labuto, inclusive aos sábados, para auxiliar no sustento e educação do resto da família. Felizmente conto com o meu inseparável companheiro, que desempenha, para mim, importante papel de amigo e conselheiro espiritual.

Se você ainda não sabe, sou a mãe daquele jovem que o seu filho matou cruelmente num assalto a um vídeo-clube, onde ele, meu filho, trabalhava durante o dia para pagar os estudos à noite.

No próximo domingo, quando você estiver abraçando, beijando e fazendo carícias ao seu filho, eu estarei visitando o meu e depositando flores na sua humilde campa rasa, num cemitério da periferia...

Ah! Já me ia esquecendo: e também ganhando pouco e sustentando a casa, pode ficar tranquila, pois eu estarei pagando de novo, o colchão que seu querido filho queimou lá, na última rebelião de presidiários, onde ele se encontrava cumprindo pena por ser um criminoso.


No cemitério, ou na minha casa, NUNCA apareceu nenhum representante dessas 'Entidades' que tanto a confortam, para me dar uma só palavra de conforto, e talvez indicar quais "Os meus direitos".

Para terminar, ainda como mãe, peço "por favor":
Faça circular este manifesto! Talvez se consiga acabar com esta (falta de vergonha) inversão de valores que assola Portugal e não só...
Direitos humanos só deveriam ser para "humanos direitos" !
!!

terça-feira, 2 de março de 2010

É sempre assim...



É sempre assim...

e de repente tudo muda, e o que fazia sentido já não faz mais,

É sempre assim,

E é difícil fazer com que (elas as pessoas que gostam da gente) entendam que devem descobrir e compreender sozinhas como devem agir, pedir, conversar.

E imagine que tudo ficaria tão fácil se houvesse mais diálogo,


É sempre assim,

Tudo começa sem rumo, sem direção aparente, e quando nos damos conta já estamos envolvidos de tal forma que não conseguimos mais nos soltar.

E imagine quão bom seria se, se acreditasse...

Se conseguisse vencer este mar de insegurança que nos envolve,

Se olhasse para os lados e percebesse que não á ninguém a não ser nós.

Mas é sempre assim,


As coisas que poderiam ser perfeitas se tornam complicadas


E geralmente achamos que somos incompreendidos

E quando nos damos conta


O que ainda poderia ser resolvido facilmente agora ficou mais difícil.

E enquanto não acharmos alguém compatível com este sentimento


Continuaremos a busca pela felicidade,


Contudo quem não consegue mudar

Pode tentar se acostumar com tudo o que já esta acontecendo.

Mas é sempre assim, queremos e não queremos,


Quando não podemos, queremos,


Quando não queremos, podemos.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Finalidade da vida...


Com vontade de aprender a finalidade e o sentido da vida, é preciso amar a vida por ela mesma, inteiramente, mergulhar por assim dizer, no redemoinho da vida, somente então aprender-se à para que se vive.

A vida é algo que, ao contrário de tudo criado pelo homem, não necessita de teoria, quem aprende a prática da vida também assimila a sua teoria.

"Hoje se chover, seja feliz com a chuva que molha os campos, varre as ruas e limpa o ar.
Se fizer sol, aproveite o calor.
Se houver flores em seu jardim, aproveite o perfume.
Se tudo estiver seco, aproveite para colocar as mãos na terra, plantar sementes, regá-las e aguardar a floração.
Mas, verdadeiramente, a única fonte de felicidade está dentro de nós mesmos e deve ser repartida.
Repartir as alegrias é como espalhar perfume sobre os outros.
Sempre algumas gotas caem sobre nós.

Quando partilhada, a alegria aumenta...
Hoje não arrume desculpas.

SEJA FELIZ!"

Já chorei vendo fotos e ouvindo musica; Já liguei só para ouvir uma voz;
Me apaixonei por um sorriso;

Já pensei que fosse morrer de saudade;
E tive medo de perder alguem especial... (e acabei perdendo)
Já pulei e gritei de tanta felicidade;
Já vivi de amor e fiz muitas juras eternas... "quebrei a cara muitas vezes!"
Já abracei para proteger;
Já dei risadas quando não podia;
Já fiz amigos eternos;
Amei e fui amado;
Mas tambem já fui rejeitado;
Fui amado e não amei...
Já chorei olhando novela Viver a Vida,pois nessa novela mostra lado real da vida,das decepções e amores.
São os detalhes que mudam nossas vidas e contróem nossa felicidade, portanto, acredite na beleza dos seus sonhos e lute.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Às vezes...


Deus costuma usar a Solidão para nos ensinar sobre a convivência.


Às vezes, usa a raiva para que possamos Compreender o infinito valor da paz.


Outras vezes usa o tédio, quando quer nos mostrar a importância da aventura e do abandono.


Deus costuma usar o silêncio para nos ensinar sobre a responsabilidade do que dizemos.

Às vezes usa o cansaço, para que possamos Compreender o valor do despertar.


Outras vezes usa a doença, quando quer Nos mostrar a importância da saúde.


Deus costuma usar o fogo, para nos ensinar a andar sobre a água.


Às vezes, usa a terra, para que possamos Compreender o valor do ar.


Outras vezes usa a morte, quando quer Nos mostrar a importância da vida.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Quando me amei de verdade - Charles Chaplin

Às vezes também se consegue!!!
Mas só os eleitos!

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Amizade

Amizade é a última esperança, para mudar o mundo!!!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010


MUITO é quando os dedos da mão não são suficientes. POUCO é menos da metade.
AINDA é quando a vontade está no meio do caminho.
LÁGRIMA é um sumo que sai dos olhos, quando se espreme o coração.
AMIZADE é quando você não faz questão de você e se empresta para os outros.
VERGONHA é um pano preto que você quer para se cobrir naquela hora.
SOLIDÃO é uma ilha com saudade de barco.
ABANDONO é quando o barco parte e você fica.
SAUDADE é quando o momento tenta fugir da lembrança por acontecer de novo e não consegue.
LEMBRANÇA é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.
AUSÊNCIA é uma falta que fica ali presente.
TRISTEZA é uma mão gigante que aperta seu coração


Quando amadurecemos, a palavra ser, é mais importante do que o ter.
A vida nos ensina ao longo dos anos, que só somos o que fizemos de nós, e nada do que tivemos nos deu mais do que o que fomos!!!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

PORCOS ASSADOS de * Gustavo F. J. Cirigliano *




Certa vez irrompeu um incêndio num bosque onde havia alguns porcos, que foram assados pelo fogo.
Os homens, que até então comiam carne crua, experimentaram a carne assada.
Acharam-na deliciosa. A partir daí, toda vez que queriam comer porco assado, incendiavam um bosque. O tempo passou, e o sistema de assar porcos continuou basicamente o mesmo.
Mas as coisas nem sempre funcionavam bem: às vezes os animais ficavam queimados demais ou parcialmente crus.
Os especialistas alegavam que o fracasso do sistema se devia à indisciplina dos porcos, que não permaneciam onde deveriam, à inconstante natureza do fogo, tão difícil de controlar, ou, ainda, às árvores, excessivamente verdes, ou à umidade da terra, ou ao serviço de informações meteorológicas, que não acertava o lugar, o momento e a quantidade das chuvas.

Como se vê, era difícil isolar o problema - na verdade, o sistema para assar porcos era muito complexo.
Fora montada uma grande estrutura: havia maquinário diversificado, indivíduos dedicados a acender o fogo - os incendiadores - e especialistas em ventos - os anemotécnicos. Os incendiadores se subdividiam em categorias, conforme o treinamento: incendiadores da zona norte, da zona sul, de inverno e de verão, de fogo diurno e de fogo noturno e assim por diante. Havia um diretor-geral de Assamento e Alimentação Assada, um diretor de Técnicas Ígneas, um administrador-geral de Reflorestamento, uma Comissão de Treinamento Profissional em Porcologia, um Instituto Superior de Cultura e Técnicas Alimentícias e o Bureau Orientador de Reformas Igneooperativas.
Eram milhares de pessoas trabalhando na preparação dos bosques, que logo seriam incendiados. Havia especialistas estrangeiros estudando a importação das melhores árvores e sementes e a produção de chamas mais potentes. Havia grandes instalações para confinar os porcos antes do incêndio, além de mecanismos para deixá-los sair apenas no momento oportuno.
Mas um dia, Joboão, um humilde incendiador do grupamento norte-inverno-diurno, resolveu dizer que o problema tinha fácil solução: bastava, primeiramente, matar o porco escolhido, limpá-lo e cortá-lo adequadamente e colocá-lo então em uma grade de ferro, sobre brasas, até que o efeito do calor - e não as chamas - assasse a carne, sem estorricá-la.
Tendo sido informado sobre as idéias de Joboão, Absalão, o diretor-geral de Assamento e Alimentação Assada, mandou chamá-lo ao seu gabinete:
"Tudo o que o senhor propõe está correto, mas não funcionaria na prática. O que o senhor faria, por exemplo, com os anemotécnicos, caso viéssemos a aplicar a sua teoria? E com os incendiadores de diversas especialidades? E os especialistas em sementes? Em árvores importadas? E os desenhistas de instalações para porcos, com suas máquinas purificadoras de ar? E os conferencistas e estudiosos, que ano após ano têm trabalhado no Programa de Reforma e Melhoramentos? O que eu faria com meu bom amigo (e cunhado), presidente da Comissão para o Estudo do Aproveitamento Integral dos Resíduos das Queimadas? O que eu faria com todos eles, se a sua sugestão fosse aceita?"
"Não sei", disse Joboão, encabulado.
"O senhor percebe agora que a sua idéia não atende às nossas conveniências? O senhor não vê que, se tudo fosse tão simples, nossos especialistas já teriam encontrado a solução há muito tempo? O senhor, com certeza, compreende que eu não posso simplesmente convocar os anemotécnicos e dizer-lhes que tudo se resume a assar um porco por vez, sobre brasas, sem chamas. O que o senhor espera que eu faça com os quilômetros de bosques já preparados, cujas árvores não dão frutos e sequer têm folhas para dar sombra? E o que fazer com nossos engenheiros em porcopirotecnia? Vamos, diga-me!"
"Não sei, senhor."
"Bem, agora que o senhor conhece as dimensões do problema, não saia por aí dizendo que pode resolver tudo. O problema é bem mais sério do que o senhor imagina. Aqui entre nós, devo recomendar-lhe que não insista nessa sua idéia - isso poderia trazer problemas para o senhor no seu cargo."

Joboão, coitado, não deu mais um pio. Sem despedir-se, meio atordoado, meio assustado, botou o rabo entre as pernas, saiu de fininho e nunca mais se ouviu falar dele.

sábado, 16 de janeiro de 2010

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

NEM TUDO É FÁCIL


É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.
É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada.
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo.
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.
É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.
Se você errou, peça desculpas...
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?
Se alguém errou com você, perdoa-o...
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender?
Se você sente algo, diga...
É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de você, ouça...
É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o...
É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?

Nem tudo é fácil na vida... Mas, com certeza, nada é impossível. Precisamos acreditar, ter fé e lutar para que não apenas sonhemos, Mas também tornemos todos esses desejos, realidade!!!

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

RECEITA DE ANO NOVO


Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade